26 agosto, 2010

Poema Mudo




Já escrevi o que deveria falar,
Ainda penso no que poderia dizer,
Por muito tempo pensei por pensar...
... Agora estou entre o “Ser ou não ser”.

Meus olhos falam por si próprios.
Se não falo, palavras doem no peito.
E digo assim, meio sem jeito.
Falecido em êxtase... Em ópio.

Falo bem... Quando sei!
Desabo a falar quando tenho certeza.
Quando digo quem sou, ou que chorei!
Entre papeis espalhados, escritos sobre a mesa.

Quanto tempo tenho para pensar e saber?
Quanto tempo tenho para acordar e dormir?
Entre tanta certeza, eu prefiro esquecer,
Pois talvez um dia alguém se lembre de mim!



Por: Eduardo Henrique
Em: 08/08/2000

2 comentários:

. disse...

Gostei muito deste!
Dê espaço para sua inspiração mesmo, é isso aí amigo!
Bjus!

Thunai Melo disse...

Me identifiquei totalmente com esse poema. Beijão.