12 abril, 2011

Vida longa á taverna!

Taverna!Taverna!Taverna!
onde reuni-se os poetas e poetisas,
 amantes das palavras,inebriantes
que arranham a goela como vinho
suave,casando com aplausos do
público presente;


Alvos poemetos entonados,
de diferentes vertentes.
há arder o peito de quem
sente,todo amor eloquente
pela poesia.

Velas dão o clima misterioso
ao ambiente poético e alentoso.

Taverna!Taverna!Taverna!
erguemos as taças de vinho
nuns gritos amalgamados
exalaram:Evoé,Evoé...

Na segunda sexta do mês,
quem escreves...ah, lá tem vez
neste canto sincero.
Vida longa á taverna!

Evoé
.....Evoé
             
                      Luiz Carlos

2 comentários:

Henrique disse...

Obrigado Luiz!

Poemista disse...

é pra gente rir enquanto disfarça lagrima singela
e é pra chorar enquanto sorrimos em plenitude!

sigo o pakkato
obrigado tb!